domingo, 1 de dezembro de 2013

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Considerações

Todos nós que nos sensibilizamos com o sofrimento dos animais abandonados nas ruas, temos um pé nesta doença chamada de Animal Hoarder. Geralmente estamos no vermelho e sabemos que não devemos... que não podemos cuidar de MAIS UM. É um eterno conflito entre o racional e o emocional. Precisamos estar sempre atentos para manter o ponto de equilíbrio. Mas quando encontrei esta figurinha aí ao lado, se arrastando pelas ruas, o
ponto de equilíbrio balançou, e o meu pé no Animal Hoarder falou mais alto.

Animal Hoarder

Animals hoarder - Acumulador de animais

Hoarding é uma patologia psiquiátrica, que é caracterizada por uma excessiva acumulação e retenção de coisas e/ou animais até eles interferirem no dia a dia, como o cuidado com a casa, saúde, família, trabalho e vida social. Hoarding é, muito freqüentemente, um sintoma de uma doença mental mais grave, como o transtorno obsessivo compulsivo.O Dr. David Tolin, diretor do Centro de Transtornos da Ansiedade, do Hospital Hartford, define hoarding: "Até agora, hoarding é considerado por muitos pesquisadores como um tipo de transtorno obsessivo compulsivo. Entretanto, para outros cientistas, hoarding também pode ser relatado como:
transtorno do controle do impulso (como comprar compulsivamente);
depressão;
ansiedade social;transtorno bipolar. "
Há os acumuladores de coisas e os acumuladores de animais. Os acumuladores de animais , animals hoarders , são pessoas que necessitam de cuidados psiquiátricos, porém ainda não há literatura médica a respeito. Essas pessoas têm dificuldade em tomar decisões racionais e de tomarem conta de si próprios, mesmo em relação ao básico. Também não conseguem lidar com situações que não possam controlar – geralmente a morte de qualquer animal leva a uma forte sensação de angústia. O Dr. Gary Patronek, veterinário americano, diretor do Centro para Animais e Políticas Públicas da Universidade de Tufts e seu grupo chamado "The Hoarding of Animals Research Consortium", criado em 1997, definiram um acumulador de animais como:
alguém que acumula um grande número de animais sem lhe dar a garantia da cobertura das necessidades básicas (comida, cuidados de saúde e de higiene);
alguém que não tem a capacidade de entender a deterioração progressiva da saúde e higiene de seus animais, (não reconhece a doença, a morte e a fome) e do meio onde se encontram (superlotação e más condições higiênicas).
O Dr. Gary Patronek também conduziu uma pesquisa, em 1999, para delinear o perfil do acumulador de animais e, chegou às seguintes conclusões:
76% são mulheres.
46% têm 60 anos ou mais.
A maioria é de solteiros e mais da metade vive sozinho.
Em 69% dos casos, fezes e urina de animais estavam acumuladas nas áreas sociais da casa. Em mais de 25% dos casos, a cama do acumulador estava suja com fezes e urina.
Animais doentes ou mortos foram descobertos em 80% dos casos relatados, ainda que em 60% dos casos os acumuladores não reconhecessem o problema.
Em maio de 2003, os agentes da Humane Society de Maryland, nos Estados Unidos, invadiram o centro para animais "Chubbers Animal Rescue" , do casal Linda Farve e Ernie Mills. Os agentes encontraram mais de 300 gatos, vivendo em condições precárias de alimentação e higiene, incluindo mais de 70 corpos de felinos, em vários estágios de decomposição. Além disso, o chão do "estabelecimento" estava coberto por fezes, urina lixo e esqueletos.O casal foi julgado e condenado por crueldade contra os animais.
Os acumuladores, muitas vezes, aparentam levar vidas normais- são educados, simpáticos e conversadores. Porém, os animais (e eles próprios) vivem entre fezes, urina e lixo e, encontram-se subnutridos e doentes. Os cães, geralmente, estão infectados por várias doenças e os gatos com leucemia (FeLV), aids felina (FIV), etc. Os animais que morrem, freqüentemente não são retirados do local. O acumulador não tem a percepção da falta de higiene e dos riscos para a própria saúde e a dos animais. O acumulador não consegue dizer "não" a colocar mais um bicho em sua casa, por mais que esteja superlotada ou que o animal recolhido esteja muito doente (contagiando os outros animais). Ele acha que o bicho estará bem com ele, melhor do que em qualquer outro lugar e "nega" que seus animais estejam em condições precárias de saúde. Cães e gatos são as principais vítimas: 65% de gatos e 60% de cães , estão envolvidos nas ocorrências.
Como o acumulador é , uma pessoa mentalmente doente, há controvérsias em relação à punição desse tipo de pessoa. Mas, de uma forma geral, o acumulador é enquadrado nos crimes de negligência e crueldade contra os animais: maus - tratos.
Esse tipo de situação já é preocupante , em termos de saúde pública, nos Estados Unidos.
Martha Follain – Formação em Direito,Neurolingüística. Hipnose, regressão, Terapia reikiana – animais e humanos, Terapia floral – animais e humanos, CRT 21524.

Notícias Interessantes

Peludo, um verdadeiro anjo de quatro patas, voltou para o céu.




 
Peludo já não precisa de um novo lar pois está agora num lugar muito mais bonito e feliz!
Tive um grande prazer de conviver com ele os últimos quatro meses de sua vida aqui. Alegre, brincalhão... fugia de mim sempre que eu abria o portão pra entrar ou sair de carro. Eu o ameaçava (de brincadeirinha) e ele fingia recuar, parecendo estar rindo de mim, me convidando para brincar. Fingia que recuava, mas quando eu entrava no carro, ele passava correndo pela porteira e ía dar as suas voltinhas. Chorão, resmungava por qualquer coisinha, até quando o velho cego, Bethoven, batia nele sem querer. Vai em paz, meu querido anjo, rumo à evolução que é regra na vida de todos nós.





terça-feira, 30 de outubro de 2012

Alemão Tito é um peso pesado!




Ele é o irmão maior do Alemão Tuco. É muito lindo e, pelo tamanho, inspira respeito. Parece um labrador baio. É extremamente meigo e carinhoso com o dono. Quando repreendido chora.